Conteúdo da Notícia

TJCE decreta luto pela morte do desembargador Antônio Pádua Silva – Corregedor-Geral da Justiça manifesta pesar

A Presidência do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) decretou luto oficial de três dias no âmbito do Poder Judiciário cearense em razão da morte do desembargador Antônio Pádua Silva. O magistrado faleceu na madrugada desta sexta-feira (01/07).

O TJCE lamenta, com profundo pesar, e presta condolências à família e aos amigos do desembargador Pádua Silva. Local e horário do velório e do sepultamento serão informados ao longo do dia.

“A Corte recebeu a notícia com muita perplexidade e tristeza. O desembargador Pádua, que eu considerava jovem ainda, era um magistrado vocacionado e exercia o seu mister com muito zelo e compromisso. Fomos colegas de concurso para a magistratura. Deixará muitas saudades, mas igualmente o legado de uma vida proba e dedicada à judicatura”, lamentou em nota a presidente do TJCE, desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira.

Para o vice-presidente da instituição, desembargador Antônio Abelardo Benevides Moraes, “é uma grande perda para a sociedade e a magistratura. Pádua foi um exemplo de pessoa virtuosa e de magistrado vocacionado, dedicado, altamente produtivo e responsável. Vai ser essa a lembrança dele que vou ter sempre comigo”.

Também com sentimento de pesar, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Paulo Airton Albuquerque Filho, disse que “a vida nos pregando e impondo situações inesperadas. Difícil de acreditar. Nesta madrugada partiu para sua última morada o nosso colega desembargador Pádua. Magistrado ético, sério, comprometido com a instituição e um parceiro institucional de primeira linha. Fica com Deus direto, colega”.

O desembargador Pádua Silva integrava a 2ª Câmara Criminal, a Seção Criminal e o Pleno, além de coordenar, no Tribunal, a Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), responsável por ações com a Semana Estadual do Júri. Juiz de carreira, ele faria 64 anos em 2022.

PERFIL
Nascido no Município de Missão Velha, no Cariri cearense, filho de Francisca Tilde Silva e Clodomir Silva Lima, Pádua Silva tornou-se juiz em outubro de 1987, ou seja, tinha quase 35 anos de magistratura. Trabalhou inicialmente em Aracoiaba e respondeu pelas Comarcas de Redenção, Itapiúna, Pacajus e Baturité. Também atuou em Crateús e Acopiara, exercendo também funções de juiz eleitoral.

No ano de 1996, foi promovido para Fortaleza, como magistrado da 5ª Vara de Execução Fiscal. Ainda na Capital, foi juiz auxiliar da Presidência, da Corregedoria-Geral e juiz convocado do TJCE.
Eleito desembargador em 16 de maio de 2019, tomou posse no cargo no dia 31 daquele mês.