Conteúdo da Notícia

Reunião na Corregedoria-Geral discute o andamento da prestação jurisdicional na Região Norte do Estado

O corregedor-geral da Justiça do Ceará, desembargador Francisco Darival Beserra Primo, esteve reunido, na manhã desta quinta-feira (1º/06), na Corregedoria-Geral, com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Subseccional Sobral, Rafael Ponte. O objetivo do encontro foi discutir, entre outros assuntos, o andamento da prestação jurisdicional na Região Norte do Estado, em especial nas comarcas de Sobral, Camocim, Santa Quitéria e Acaraú.

“A Corregedoria está de portas abertas para receber os advogados e discutir a prestação jurisdicional, pois são eles que vivem a rotina da Justiça, acompanhando as atividades que tramitam nas unidades judiciárias”, disse o corregedor.

Os dirigentes das 15 Subseccionais da OAB no Ceará realizaram, entre os meses de fevereiro e março deste ano, o projeto “OAB Itinerante”, no intuito de fazer levantamento dos serviços prestados pela Justiça na Capital, Região Metropolitana e Interior. Durante as visitas, foram colhidas, principalmente, reivindicações sobre o andamento de processos e as padronizações de atendimento das Varas.

“A intenção da OAB de Sobral é trabalhar junto à Corregedoria e ao Tribunal de Justiça uma melhor prestação jurisdicional. Nós temos uma preocupação muito grande com a qualidade da Justiça perante os advogados e cidadãos. Estou otimista com a seriedade e compromisso do desembargador Darival Beserra. Tenho certeza de que ele dará seguimento aos nossos requerimentos e tomará as previdências necessárias para melhorar a prestação jurisdicional no nosso Estado”, destacou Rafael Ponte.

Também participaram do encontro o secretário-geral da OAB-Subsecção Sobral, Raphael Viana, o diretor coordenador do Interior, Elioenai Frota, e o conselheiro da Associação dos Jovens Advogados de Fortaleza e Região Metropolitana (Ajaforte), Farias Filho.

A Corregedoria-Geral é um órgão do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) que tem competência para fiscalizar, orientar e aprimorar os serviços judiciais e extrajudiciais prestados à população, bem como zelar pela regular conduta dos juízes e servidores.