Conteúdo da Notícia

“O juiz deve ser objetivo e prático”, destaca corregedor-geral durante abertura de inspeção

“O juiz criminal deve ser objetivo, prático e aproveitar a presença do réu, promotor e defensor para agilizar o julgamento dos processos. Nós magistrados temos que fazer a nossa parte e nos esforçar”, declarou o corregedor-geral da Justiça, desembargador Francisco Darival Beserra Primo, durante abertura dos trabalhos de inspeção, na manhã desta quarta-feira (12/09), na 1ª Vara Criminal da Comarca de Fortaleza, localizada no Fórum Clóvis Beviláqua. O corregedor reuniu-se com o juiz titular da unidade, Silvio Pinto Falcão Filho, e com toda a equipe da vara, para dar esclarecimentos sobre a fiscalização.

Na ocasião, o corregedor destacou que a “Corregedoria é a Presidência do 1º Grau. É ela quem zela pelo cumprimento da finalidade precípua do Judiciário, que é a prestação jurisdicional. A Corregedoria é quem acompanha os trabalhos dos juízes e o funcionamento dos serviços extrajudiciais.”

As atividades de inspeção estão sendo conduzidas pelos juízes corregedores auxiliares, Ernani Pires Paula Pessoa Júnior, Flávio Vinicius Bastos Sousa, Roberto Soares Bulcão Coutinho e Francisco Gladyson Pontes Filho. As ações que tramitam em meio virtual serão analisadas ao longo do mês de setembro, de acordo com o Regimento Interno da Corregedoria-Geral.

Após a conclusão dos afazeres inspecionais, será apresentado ao Conselho Superior da Magistratura relatório circunstanciado, no qual constará o resumo de todo o trabalho desenvolvido e providências a serem adotadas.

MAIS INSPEÇÕES

O corregedor-geral instituiu, por meio das Portarias nºs 40 e 41/2018, publicadas no Diário da Justiça, do dia 25 de junho, o Ciclo de Inspeções Judiciais para agosto, setembro e outubro deste ano. O objetivo é orientar e fiscalizar a produtividade das unidades judiciárias da Capital e Interior.